Geral da Terra, do ar, do mar e da Lua... Alma das flores, das cores, das pessoas nas ruas... Geral de tudo que se vê, de tudo que se ouve, das verdades nuas.

14/02/2008

Guga é o cara!

Gustavo Kuerten deixou as quadras.
Uma pena para o esporte basileiro.
Mas ele deixa um legado sensacional.
Guga foi o cara que impulsionou o tênis no Brasil.
Popularizou um esporte praticado em sua maioria por almofadinhas.
Chegou ao topo, mas não teve suficiência física para suportar manter-se por lá.
No entanto, enquanto foi número 1, foi incontesti.
Guga foi um tenista genial, do nível de Pete Sampras e Roger Federer - este último um freguês do manezinho da ilha.
Ele não foi somente o melhor de todos os tenistas da história do Brasil, é candidato a ser um dos maiores da história do próprio tênis.
Com um golpe de esquerda que ninguém tem no circuito profissional, destroçou adversários considerados imbatíveis.
Era um rei do saibro.
Teve peleias memoráveis contra Magnus Normam - outro genial que deixou o tênis por problemas físicos -, André Agassi e o arqui-rival Marat Safin.
Foi tri em Roland Garros e campeão do mundo no torneio que coloca os 8 melhores da temporada em confronto - e não foi no saibro!
Neste último, arrasou com Agassi e Sampras!
Guga foi multi-campeão também nos torneios Maters Series, colecionou premiações, troféus e torcida.
Sim, uma torcida louca, como a de nenhum outro tenista, que incomodava em todos os cantos do mundo os juízes e organizadores de torneios "metidos à besta" - olê, olá, Guga, Guga!
Nosso Gustavo Kuerten é um modelo de ídolo.
De caráter invejável, a mídia podre tentava publicizar sua vida particular, mas ele sempre se esquivava.
Surfista e torcedor do Avaí, Guga entrou para a história.
Sua figura, para o esporte da bolinha, é imaculada e deve ser seguida no desenvolvimento de um tênis forte e de caráter.
Grande, Guga!!!

- Aqui, um sacode no último set em Pete Sampras nas semi do Masters Cup (copa do mundo)


- E, aqui, nas finais, em Agassi (do Globo Esporte)

2 Comentários:

Anonymous André disse...

Concordo plenamente, Guga é um mito no esporte brasileiro, ao nível de Pelé e Senna!

15/02/2008 10:58

 
Anonymous Rodrigo Cardia disse...

Logo que surgiu o Guga, em 1997, o meu irmão decidiu fazer aula de tênis. Não continuou por muito tempo, mas serve para mostrar como um ídolo pode impulsionar o esporte no país. Assim como o meu irmão, outras milhares de crianças decidiram fazer aulas de tênis por causa do Guga.
Quanto à torcida então... Acho que o Guga foi o único tenista a ter realmente uma torcida, que canta e apóia. Os outros tinham (e ainda têm) apenas "espectadores", que ficam sentadinhos virando o pescoço dum lado pro outro. Coisa mais sem graça!

15/02/2008 15:07

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home